Brasileiros na Reform 2009 - relatos, opiniões e reflexões de quem esteve lá.

A International Drug Policy Reform Conference (reform), foi realizada este ano na cidade de Albuquerque - Novo México, EUA, entre os dias 12 e 14 de novembro.

Esta conferência, que foi realizada pela primeira vez em 1989, teve seu maior público este ano, com mais de mil pessoas presentes: americanos de virtualmente todos os estados e pelo menos uma centena de representantes do mundo todo. Uma plateia diversa, mas composta, em sua maioria, por ativistas e membros de organizações não-governamentais.

A Psicotropicus tradicionalmente participa desta reunião, e este ano não poderia faltar. Desta vez a Psicotropicus, em parceria com o Open Society Institute e a Drug Policy Alliance, conseguiu reunir e patrocinar a participação de 9 brasileiros. Além de cinco membros de sua equipe ( Luiz Paulo Guanabara, João Pedro Pádua, Marisa Felicissimo, Vera Da Ros e Maíra Fernandes) a comitiva brasileira contou, também, com a presença de outros ativistas e especialistas da área de drogas do Brasil (Ela Wiecko, advogada, Ministério Público Federal, William Lantelme, fundador do growroom.net, Edward Mac Rae, antropólogo e Tarcísio Andrade, médico, ambos professores da Universidade Federal da Bahia).

Este grupo foi reunido, não só por sua diversidade e experiência na área de drogas, mas também por seu potencial e capacidade de defender, de forma mais eficiente, ao retornar, mudanças na política de drogas no Brasil. Esta “comitiva brasileira”, como informalmente foi chamada, somada a pelo menos mais 4 outros brasileiros, que participaram de forma independente, tiveram a oportunidade, não só de conversar entre eles, sobre temas importantes para o futuro da reforma das leis e políticas de droga no Brasil, mas também, tiveram a oportunidade de mostrar, a pessoas do mundo todo, um pouco do que está acontecendo no campo das drogas no Brasil. Além de conversas individualizadas e em pequenos grupos, pelos corredores, nos intervalos e durante almoços, jantares e cofeebreaks, três brasileiros tiveram ainda a oportunidade de apresentar temas de sua experiência em diferentes painéis.

A maioria dos brasileiros presentes, apesar de terem grande experiência como profissionais e ativistas da área de drogas, nunca haviam participado de uma conferência como esta, tão política e focada no ativismo e com palestrantes e público com formação e atuações tão diversas.

Alguns estranharam e outros se estarreceram com o discurso entusiasta e motivador de Ethan Nadelmann. Uns sentiram falta de temas como o crack e o tratamento da dependência química e sentiram-se deslocados quando os temas tratados eram sobre questões tão particularmente americanas. Mas uma coisa é certa, todos saíram dali convencidos de que o movimento pela reforma das políticas de drogas cresceu e se profissionalizou, agregou jovens, usuários de drogas, mulheres, políticos de alto escalão, acadêmicos de peso e profissionais de diversas áreas.

Aqui você vai encontrar relatos produzidos por estes brasileiros, que tiveram a oportunidade de participar daqueles magníficos 3 dias de evento.

Relatos:

Preparativos e Pré- conferência

Abertura, discurso de Ethan Nadelmann

Plenária central: Alex Wodak - Reforma das leis: o começo do fim

A participação brasileira

Ayahuasca: usos tradicionais e adaptações modernas

Reflexões:

Bons ventos sopram do deserto

Reflexions from outside


Comments

Popular posts from this blog

About Marisa Felicissimo

26 de junho: Vamos ajudar o UNODC a fazer uma escolha saudável!