O destaque ao debate continua bom, mas as opiniões dos especialistas...


É verdade que o debate sobre a descriminalização tem ganhado bastante espaço na mídia brasileira, mas as respostas dos convidados, mesmo quando especialistas, continuam sendo parciais e carregadas de preceitos morais.

Como em outros debates, neste programa da Globo News, os telespectadores enviaram, pelo chat, dúvidas diversas e bastante interessantes, o que demonstra que o público está mesmo ligado no assunto. Desta vez apenas um especialista foi convidado para esclarecer as dúvidas, portanto, não houve um real debate de ideias. Apenas a transmissão de um suposto saber. O que se faz necessário esclarecer portanto, é que apenas o porte de um diploma não qualifica uma determinada pessoa como autoridade no assunto. Para esclarecer dúvidas sobre drogas e, acima de tudo, sobre política de drogas, a pessoa precisa estar atenta a tudo que está acontecendo no mundo e saber analisar de forma objetiva, mas também crítica, estudos e fatos. Opiniões pessoais, não podem assumir o caráter de fato ou evidência científica.

Neste programa a palavra foi dada à psiquiatra do NEPAD, Maria Tereza Aquino. Apesar de sua reconhecida experiência com o tratamento das dependências químicas, à frente do NEPAD, a psiquiatra não conseguiu apresentar respostas adequadas e atualizadas aos espectadores e internautas que participaram do programa.

Agora, a pergunta que não quer calar: com tantos especialistas nesta área no Brasil, porquê a Globo continua convidando apenas médicos, que aparentemente não sabem muito de leis e políticas, para "esclarecer" seus telespectadores? Se for só para botar mais fogo na conversa, até entendo, mas se for para tentar convencer o público, que é esta a verdade, certamente teremos um trabalho ainda maior pela frente. Mas não temos medo do debate, não é?! Então mãos à obra!

Críticas às respostas apresentadas no programa não faltam. A equipe do Hempadão já expôs suas opiniões e um coro de internautas também fez valer suas ideias no blog. (confira).

Desta vez preciso destacar o aviso deixado por Maria Tereza ao fim da transmissão, talvez de todos, o mais inusitado, e até inédito para mim. Nunca ouvi alguém usar este argumento contra a legalização. Ela explica que se seguirmos com a legalização, teremos uma invasão da indústria farmacêutica vendendo kits de detecção de drogas: "Minha grande preocupação é que pessoas como você sejam vítimas de grandes laboratórios. Assim que for liberada a maconha, vai ser permitido que você plante. Mas laboratórios vão lançar kits de detecção de drogas. Se você passar num concurso público, por exemplo, vai ter um teste e aí você vai cair na sua própria armadilha."

Parece que ela não sabe mesmo, que estes kits só surgiram pela obsessão americana de detectar usuários de drogas a qualquer custo. Nos locais de trabalho e em escolas, a "invasão de kits" ocorreu,nos EUA, justamente após a implementação da política de Tolerância Zero do governo Reagan portanto, muito mais um produto da proibição que da legalização.

Mais pérolas de Maria Tereza podem ser encontradas no chat do programa e no vídeo abaixo. Aqui publico algumas.

MT: "A maconha não é mais crime desde 1998. Se uma pessoa estiver fumando, a droga é retirada dela. Mas a pessoa não vai presa. Essa lei diz que a pessoa pode portar até determinada quantidade. "

(na verdade a lei brasileira não especifica quantidades, o critério fica a cargo das autoridades judiciais, portanto, nada objetivo).

MT: "Se legalizar, vai aumentar o consumo. Aconteceu na Suécia, aí o país recorreu. Dez anos depois passou a proibir. Lá é onde menos de consome drogas do mundo. Isso aconteceu na Alemanha também. Houve 400% de aumento do consumo. Isso é grave, é a nossa preocupação.A maconha provoca psicose, síndrome do pânico... meus pacientes não são guerreiros, não vão à luta. Não trabalham, não estudam. Aí você diz que eles têm problema econômico. Não, eles não têm."

(a Suécia não é o local que menos consome drogas no mundo, e em vários países europeus, como Portugal, por exemplo, a descriminalização nao levou ao aumento do consumo)

MT: "A pessoa que fuma tabaco joga a fumaça para fora. Quem fuma maconha, faz questão que a fumaça fique dentro do pulmão para obter os efeitos. Eu diria que a maconha faz mais mal. Ela tem mais de 4 mil substâncias cancerígenas também."

(veja um estudo que diz o contrário)

MT: "Na Holanda, vende-se maconha em cafés, mas há tráfico, porque a maconha legalizada, obviamente, não é muito pesada."

(uma coisa não tem relação direta com a outra, o tráfico ainda existe, provavelmente porque, muitas pessoas ainda continuam comprando mais barato no mercado ilegal e também porque não são autorizadas a plantar. No Brasil mesmo existe um comércio ilegal para cada produto legal que existe no mercado, isso não quer dizer que um CD falso é melhor que o original)

Leia mais argumentos que derrubaram outras opiniões de Maria Tereza Aquino no debate que ela travou com Ethan Nadelmann, em agosto no Rio.

Leia também a opinião de outros psiquiatras em debates na TV: Dartiu Xavier e Tarcísio Andrade




Comments

  1. Infelizmente, paira em nosso país a velha nuvem de preconceitos e hipocrisia.

    Neste vídeo, essa sra ainda da argumentos de que o Alcool sim, é seguro para se consumir (é rapidamente eliminado pela urina, não tem problema, desde que a pessoa não desenvolva algo mais sério, como um coma-alcoólico..) ???

    ReplyDelete

Post a Comment

Popular posts from this blog

About Marisa Felicissimo

26 de junho: Vamos ajudar o UNODC a fazer uma escolha saudável!